Andrea Cantarelli

Consciência cidadã é aquela que vai além das fronteiras

estabelecidas a um só organismo, seja ele uma pessoa ou uma empresa. A dimensão desse entendimento aumenta proporcionalmente a partir de um olhar ampliado que deve incorporar cada vez mais contextos sociais e assumir funções e atitudes positivas em cada um deles. O resultado ideal deste modelo é o desenvolvimento contínuo e sustentável com organizações responsáveis socialmente. Para que exista um percentual aceitável de discernimento e atitude cidadã, o plano a ser traçado deve incluir os principais pilares representantes da sociedade, Público, Privado e Terceiro Setor.


Colcha de retalhos

Como uma colcha de retalhos, formada por vários tecidos que só fazem sentido quando costurados juntos, essas bases da sociedade devem estar conectadas para que se enxergue a real capacidade de transformação cidadã em uma organização, cidade, estado, ou país.


Segundo a Organização Internacional Não Governamental ISO, o ISO 26000 é um documento que referencia qualitativamente e internacionalmente padrões efetivos de Responsabilidade Social para os setores público ou privado. Serve como um guia para as empresas que pretendem operar num padrão internacional de Responsabilidade Social. O comprometimento de uma empresa, por exemplo, com o desenvolvimento social e ambiental é um dos principais meios para mensurar o desempenho referente à operacionalização do setor de Responsabilidade Social.


Para avaliação do grau de Responsabilidade Social de uma organização, considera-se o entendimento da empresa sobre conceitos, princípios e práticas no setor; além da análise de implantação e promoção de práticas sociais.


Outro alinhamento internacional que a empresa pode conectar com seu planejamento do setor de Responsabilidade Social são os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas elaborados em 2015 para os 15 anos seguintes - Agenda 2030. Cada objetivo tem sua particularidade e atendem a um propósito maior de fortalecer a paz universal com mais liberdade, além de identificar a erradicação da pobreza como “maior desafio global e requisito indispensável para o desenvolvimento sustentável.”



A partir do diagnóstico social e avaliação dos padrões e objetivos sociais alinhados à missão e visão da empresa, independente do porte da organização, um planejamento estruturado para a implantação ou melhoria do setor de Responsabilidade Social é crucial para a conquista da consciência cidadã da empresa, seus colaboradores, fornecedores, parceiros e clientes.


#responsabilidadesocialcorporativa #consciênciacidadã #regra3soacial #agenda2030

20 visualizações0 comentário

Andrea Cantarelli

Acompanhando as notícias sobre o novo vírus que se espalhava na China em Janeiro, não podíamos imaginar que o resto do mundo enfrentaria a mesma realidade em tão pouco tempo. O primeiro sentimento foi o de sentir o absurdo na dor e desespero das pessoas que relatavam suas histórias em vários países e mandavam mensagens para o mundo através das redes sociais enquanto a doença se espalhava pelo mundo.


A narrativa poderia ser sobre um livro de ficção, pois, considerando os avanços na tecnologia em todo mundo, nunca esperávamos viver uma realidade como a que acompanhávamos ainda de longe até o primeiro caso de Covid-19 aparecer em São Paulo no final de Fevereiro. O melhor exemplo na literatura é o livro "A Peste" de Albert Cammus que escrevia sobre absurdos da vida diária e retratou a Peste Negra na sua obra de ficção em 1947. Ao ler alguns trechos do conto, eu poderia dizer que estava lendo as notícias absurdas do novo dia-a-dia no Brasil e no mundo.


E no meio do absurdo, resolvemos fazer nossa parte. Minha sócia, Karla, me ligou no início do mês de Abril com toda a ideia já pronta de uma campanha para doar máscaras de tecido para a população. Ela na linha de frente e eu cuidando da comunicação, começamos a Campanha Máscara para Todos.



Como empresa de Responsabilidade Social somos comprometidas com a transformação cidadã e impacto social; e diante da pandemia da Covid-19, criamos a Campanha Máscara para Todos que foi 100% voulntária para atender a urgente demanda de máscaras para a população carente e grupos de risco.


Na primeira fase, empresas e população fizeram doações; produzimos e distribuímos 102 mil máscaras em um mês para projetos sociais, moradores de rua, abrigos de idosos, hospitais, unidades de saúde, comunidades, mercados públicos e unidades Compaz da Prefeitura do Recife.





A segunda fase foi em parceria com o Governo do Estado de PE. Conseguimos um milhão de máscaras com o Itaú doadas pelo Todos Pela Saúde para o Governo de PE. A Regra3 fez a distribuição em projetos sociais, povos indígenas, terminais rodoviários e Municípios /Unidades Básicas de Saúde, em parceria com o Governo do Estado e apoio da empresa Ebrasil Energia.



O registro que não podemos deixar de fazer é sobre a imensa rede de voluntariado que se formou diante da pandemia. Nossa Campanha só foi um sucesso porque contamos com a divulgação de amigos e parceiros e também contamos com a doação de empresas e da sociedade que fizeram nosso sonho acontecer. Nosso agradecimento especial a todos que trabalharam conosco e que continuam na luta contra a doença e suas consequências.


Nosso mapa de distribuição das máscaras nas duas fases da campanha mostra a dimensão e impacto social que conseguimos alcançar e toda campanha foi



2 visualizações0 comentário